Classes Reconhecidas - Yngling (ex olímpica 2004-2008)

Logo do Yngling

Desenho lateral do Yngling

Desenho em planta do Yngling

Documentos Técnicos da Classe Yngling:
Regras da Classe Yngling - 2020
Relatório da Classe
Manual de Construção
Formulário de Medição
Interpretação das Regras da Classe

Classe Yngling Sites:
Classe Yngling Brasil: não existe classe formada
Classe Yngling Internacional: www.yngling.org

Súmulas Campeonatos Estaduais:
Não houve Estadual Yngling - 2012 a 2019
Estadual Yngling - 2020 não está programado

Hall da Fama - Campeões Estaduais

A história do Yngling: A idéia inicial era projetar e construir um pequeno barco de quilha para o filho Øyvin, que na época tinha 14 dias. Daí o nome "Yngling", que significa jovem! Isso foi em 1967, logo após o Soling ter passado pelos testes da IYRU em Keil e Travemunde. Portanto, a mesma filosofia de projeto, embora o Yngling não seja uma versão "reduzida" do Soling, como muitas pessoas parecem acreditar. O Yngling tem proporções bastante diferentes, com mais boca, borda livre mais alta, com linhas de corpo mais completas, etc., mas ele é um bom “irmão menor” do Soling.
Mantendo a maioria das características, a intenção era criar um barco menor, mais leve e mais fácil de manusear, que poderia ser um barco de quilha de design único para juniores, bem como um barco de recrutamento adequado para o Soling.
As regras da classe eram, desde o início, muito restritivas em relação a equipamentos e velas. Além disso, para aplicar o princípio de "one-design", todos os moldes de produção deveriam ser entregues a partir de uma única fonte de suprimento.
Plugues e moldes foram construídos no estaleiro de Bringsværd durante o inverno de 67/68, e os 7 primeiros barcos velejaram na temporada de 1968. Cinco deles participaram de nossa principal regata nacional e impressionaram tanto que começaram a chegar pedidos no estaleiro de Bringsværd.
Emprestei o nosso Y-N a Paul Elvstrøm, que avaliou o barco durante o outono e inverno, e ele apresentou o barco aos velejadores dinamarqueses. Antes da temporada de 1969, mais 55 Ynglings foram construídos, e a classe foi estabelecida na Noruega.
Em 1971, fui homenageado ao receber o Prêmio de Design pelo Yngling do Conselho Norueguês de Design. A "International Yngling Association" foi fundada em 1971 e a primeira regata da Copa do Mundo foi organizada na Holanda no mesmo ano.
A IYRU [agora WS] concedeu o status Internacional ao Yngling em Maio de 1979. As regras da classe estão sob vigilância constante e melhoraram quase até a perfeição. O status do Campeonato Mundial oficial torna esses eventos mais importantes, e vimos aumento nas inscrições e um padrão mais alto de regatas do que nunca. Acredito que a classe Yngling é atraente para bons velejadores, não apenas porque é um bom barco, mas também porque eles encontram boa competição e também a atmosfera amigável que encontram sob as asas do IYA.
Jan Herman Linge projetista do Yngling (extraído de um artigo do boletim IYA de 1987)

Descrição de Yngling
O Yngling é um pequeno e elegante barco de quilha de regata. Descrito sucintamente como um cruzamento agradável entre um casco planante e um barco de quilha. Seu design é clássico e sua construção é durável.
Características da Velejada
Aqueles familiarizados com o Soling reconhecerão instantaneamente o Yngling como um "mini-Soling", uma descrição bastante adequada. No Yngling (pronunciado “ING-ling”), o designer Jan Linge duplicou seu Soling, tornando-o menor, mais adequado para pessoas de tamanho médio, mais fácil de rebocar (atrás de um carro médio) e mais barato de possuir. O Yngling compartilha a forma elegante do casco do Soling, o equipamento bem equilibrado e o leme responsivo. Não é tão rápido quanto o Soling mas é mais ágil. Ele gira mais rapidamente e em menor distância e responde melhor aos ajustes de peso da tripulação.
O Yngling foi projetado para navegar com 3 tripulantes (embora 2 possam lidar com ele com facilidade). O peso ideal da tripulação é de 180 a 225 Kg. Portanto acomoda jovens e adultos de tamanho normal e é o barco de regatas ideal para mulheres (a IYRU selecionou o Yngling para seu primeiro campeonato internacional de mulheres em 1994, e a ISAF o escolheu como o barco para o evento de quilha olímpico feminino de 2004 e 2008). Os controles de vela no Yngling são fáceis de gerenciar e os efeitos de pequenos ajustes são sentidos pela tripulação.
Design e Segurança
Em 1990, Jan Linge redesenhou o interior do Yngling, dando-lhe um cockpit estanque, elevado e de fundo duplo. Com os "bailers" de bombordo e boreste logo acima da linha dágua, o barco drena a água rapidamente com vela no contra vento e no popa. O Yngling é inafundável: as regras de classe determinam que um barco tenha flutuação suficiente de isopor, de modo que, se estiver cheio de água, um Yngling ainda possa flutuar - com três tripulantes a bordo!
Construção e Valor
Comparado com barcos de quilhas semelhantes, como Soling, Sonar, J-22 e J-24, o Yngling é o menos caro e mais fácil de manter. É um dos melhores valores, além do baixo preço de compra, devido às rígidas regras de construção de one design. As regras de classe exigem que os Ynglings sejam construídos com mantas de fibra de vidro, em vez de métodos mais baratos e menos duráveis, como fibra de vidro picada. O benefício deste requisito é que o casco Yngling é extremamente rígido e durável: os cascos com trinta anos de idade são competitivos com os novos. Essa longevidade em um barco de fibra de vidro é rara.
Organização de classe internacional
O Yngling é uma classe internacional da WS (antiga ISAF) desde 1979. Existem associações de classe fortes e entusiasmadas em 2/3 dos países europeus, Austrália e América do Norte. Regatas nacionais e regionais são realizadas nessas áreas, e os campeonatos mundiais são realizados em todo o mundo, da Dinamarca à Austrália e aos EUA.
Aproximadamente 4.000 Ynglings estão navegando em todo o mundo. A flotilha é um grupo competitivo, mas amigável, de velejadores de longa data. Além disso, os Ynglings eram normalmente disputados como barcos de treinamento pelos Olimpicos da Soling (e da antiga America's Cup).

Especificações:
Tipo: Monotipo com Quilha
Numero de tripulantes:3
Peso da Tripulação: 200-230 kg / 496 lb
Projetista: Jan H. Linge
País de Origem: Noruega
Material do casco: Fibra
Projetado no ano: 1967
Comprimento do casco: 6.37 m / 20,9 pés
Comp. linha dágua: 4.70 m / 15.0 pés
Boca: 1.70 m / 5.57 pés
Calado Padrão: 1.05 m / 3.44 pés
Peso do Casco: 645 Kg / 1.422 lb
Peso da Quilha: 310 Kg / 680 lb
Área Vélica:
Grande: 10.5 m² / 113 pés²
Jib/Genoa: 5.33 m² / 57.4 pés²
Contravento: 15.83 m² / 170 pés²
Spinnaker (Balão): 20.0 m² / 220 pés²

Avisos

SOBRE

FEVERJ - Federação de Vela do Estado do Rio de Janeiro é a única entidade esportiva autorizada a organizar e realizar regatas e enventos náuticos no estado do Rio de Janeiro.
© 2019 FEVERJ - Federação de Vela do Estado do Rio de Janeiro